Revalida

O que é o Revalida

O Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) foi criado para orientar o reconhecimento de diplomas de medicina emitidos por instituições de educação superior estrangeiras. Para atuar como médico no Brasil, o estudante formado no exterior precisa revalidar o diploma. O Revalida estabelece um processo apoiado em instrumentos unificados de avaliação e em um exame para revalidação dos diplomas estrangeiros compatíveis com as exigências de formação correspondentes às universidades brasileiras. Os parâmetros e critérios isonômicos devem estar em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina, para aferição de equivalência curricular e definição da correspondente aptidão para o exercício profissional da medicina no Brasil. O revalida é um avanço decorrente da ação articulada dos Ministérios da Educação e da Saúde, e foi instituído por meio da Portaria Interministerial nº 278, de 17/03/2011 , nos termos do art. 48, § 2º, da Lei nº 9394, de 1996. O exame é orientado pela Matriz de Correspondência Curricular para Fins de Revalidação de Diplomas de Médico Expedidos por Universidades Estrangeiras. Na matriz foram definidos os conteúdos e as competências e habilidades das cinco grandes áreas de exercício profissional: Cirurgia, Medicina de Família e Comunidade (MFC), Pediatria, Ginecologia-Obstetrícia e Clínica Médica. O exame também estabelece níveis de desempenho esperados para as habilidades específicas de cada área. O Revalida é implementado pelo Inep e conta com a colaboração da Subcomissão de Revalidação de Diplomas Médicos, também instituída pela Portaria nº 278. As universidades públicas participam da elaboração da metodologia de avaliação, da supervisão e da aplicação da prova. O exame é feito em duas etapas: avaliação escrita, composta por uma prova objetiva com questões de múltipla escolha, e uma prova do tipo discursiva. Numa segunda etapa, é realizada a avaliação de habilidades clínicas.

Página atualizada em: 20 outubro 2015