Histórico

Publicado primeiro registro de dados

O Primeiro Anuário Estatístico do Brasil apresentou um levantamento dos dados da educação superior do período de 1908 a 1912.

Serviço de Estatísticas da Educação e Cultura

O Serviço de Estatísticas da Educação e Cultura (SEEC) é criado pelo Decreto nº 38.661, com a finalidade de promover a definição de levantamentos sistemáticos e anuais, em trabalho conjunto com o IBGE. A partir desse período, foram definidos os instrumentos de coleta, que eram encaminhados anualmente, via Correios, às instituições de educação superior, e preenchidos manualmente. O SEEC recebia os questionários preenchidos e, por meio da instalação de um Centro de Processamento de Dados, controlava diretamente a apuração dos dados coletados.

Decreto nº 38.661, de 26 de janeiro de 1956

Amparo legal na Constituição Federal

A Constituição Federal de 1998, no inciso XV do artigo 21, assim dispõe: “Compete à União: organizar e manter os serviços oficiais de estatística, geografia, geologia e cartográfica de âmbito nacional”.

Artigo 21, inciso XV da Constituição de 1988

Censo Superior passa a ser anual

O Inep passa a publicar anualmente o resultado da coleta de dados das instituições de educação superior. É possível acessar todas as tabelas na Página do Censo da Educação Superior aqui.

Censo amparado pela LDB

A Lei de Diretrizes e Bases é publicada e a União é encarregada de coletar, analisar e disseminar informações sobre educação.

Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996

Coleta de dados em versão eletrônica

O Inep é transformado em autarquia federal, e tem entre suas finalidades organizar e manter o sistema de informações e estatísticas educacionais. No mesmo ano, a Portaria º 125, de 5 de setembro, determinou que o envio dos dados do Censo deveria ser feito pelo formulário eletrônico pela internet ou por disquetes, neste caso, encaminhado pelo Inep para as entidades que não tinham acesso à internet.

Lei nº 9.448, de 14 de março de 1997

Coleta de dados em versão online

É implementado o Sistema Integrado de Informações Educacionais (SIEd-Sup), com acesso restrito a cada instituição de ensino superior. A coleta dos dados passou a ser realizada por meio de questionário online. O SIEd-Sup agilizou a relação do Inep com as instituições de ensino e elevou a confiabilidade dos dados com o processo de verificação de críticas sobre os dados declarados. Neste ano, o Manual de preenchimento do Censo incorporou um glossário, com a finalidade de padronizar conceitos utilizados na educação superior. O Inep adotou a Classificação Internacional Normalizada da Educação – Áreas de formação e treinamento da Eurostat/Unesco, o que permitiu a comparação internacional dos dados brasileiros.

Instituído o Pesquisador Institucional

A Portaria nº 2.517, de 22 de novembro de 2001, estabeleceu que as instituições de ensino superior deveriam designar um Pesquisador Institucional (PI) para ser o interlocutor e responsável pelas informações junto ao Inep.

Obrigatoriedade do Censo e a relação com o CPC

As Instituições de Educação são obrigadas por lei em prestar as informações solicitadas pelo Inep, por ocasião da realização do Censo da Educação Superior. Os dados do Censo sobre docentes passam a ser utilizados como no cálculo do Conceito Preliminar de Curso (CPC), principal indicador de qualidade da educação superior no Brasil.

Decreto nº 6.425, de 4 de abril

Portaria nº 12, de 5 de setembro de 2008

Implementação do novo sistema

Os dados das instituições de educação superior e cursos do Cadastro do e-MEC passam a ser importados pelo Sistema do Censo da Educação Superior do Inep. O novo sistema, o Censup, realiza a coleta individualizada, por CPF, de dados de alunos e a inclusão do cadastro de docentes como um módulo do questionário do Censo.

CPF é obrigatório para professores e alunos

O campo para preencher o CPF de docentes e discentes passa a ser obrigatório no Censo. A partir desse ano, as informações podem ser consultadas nas Sinopses Estatísticas, que reúnem dados tabulados por assunto (estabelecimentos de ensino, cursos, matrículas, vagas, concluintes e docentes) e consolidados para o país, unidades da Federação e municípios. O usuário também pode consultar dados detalhados no sistema de Microdados. Para este caso, é preciso software de tratamento estatístico.

Sinopses Estatísticas da Educação Superior

http://portal.inep.gov.br/web/guest/microdados

Implantação do treinamento EAD

Em dezembro desse ano, iniciaram-se as capacitações para o preenchimento do Censo da Educação Superior por meio de treinamento EAD na plataforma Moodle. Além da economia de recursos, a capacitação a distância ofereceu praticidade e flexibilidade para os usuários, possibilitou o acesso a recursos educacionais diversificados, e ainda permitiu a capacitação de um maior número de usuários, o que consequentemente propiciou maior confiabilidade nos dados informados.

Página atualizada em: 22 agosto 2019