O IDEB e o Censo Escolar da Educação Básica

A Educação tem sido objeto de interesse e preocupação não só por parte da sociedade civil, mas também do Governo Federal que, por meio de políticas públicas, tem procurado ampliar e desenvolver o Sistema Educacional Brasileiro.

Falar de Educação em nosso país nos faz refletir sobre a qualidade do ensino nas escolas brasileiras e a realidade escolar evidenciada pelas taxas de aprovação, reprovação e evasão. Pensando em formas de elevar o nível de qualidade de nossas escolas foi instituído o Ideb – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, que parte do princípio de que sem um diagnóstico sobre o cenário educacional não seria possível identificar os pontos mais frágeis do sistema educacional, tampouco definir prioridades, estabelecer metas, elaborar e implementar políticas públicas que visem à ampliação do acesso à escola e à melhoria de qualidade do ensino.

O ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA

Criado em 2007, o Ideb é um indicador calculado a partir de dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: média do desempenho nas avaliações do Inep e dos dados sobre o fluxo escolar (aprovação, reprovação, evasão) obtidos por meio do Censo Escolar da Educação Básica. Esse indicador agrega os resultados sintéticos ao enfoque pedagógico, permitindo traçar metas de qualidade educacional para os sistemas de ensino.

QUAL É A FINALIDADE DO IDEB?

O Ideb foi criado para ser um parâmetro comparativo que permita o diagnóstico atualizado da situação educacional e a projeção de metas  que visem promover a elevação dos índices de qualidade, especialmente no âmbito do Plano de Desenvolvimento da Educação, pois permite:

a) identificar escolas e/ou redes de ensino cujos alunos apresentem resultados de rendimento e proficiência  insatisfatórios, já que esses dados são divulgados por escola e rede de ensino;

b) monitorar a evolução temporal do desempenho dos alunos dessas escolas e/ou redes de ensino.

O Ideb favorece a comparabilidade em diferentes instâncias em relação à média nacional, com a vantagem de equilibrar duas dimensões da educação: aprendizagem e fluxo escolar. Em outras palavras, se um sistema de ensino retiver seus alunos, altera-se o fluxo e, consequentemente, o Ideb indicará a necessidade de melhoria. Do mesmo modo, se o sistema aprovar o aluno sem se preocupar com sua aprendizagem, o resultado da avaliação será baixo, prejudicando o indicador e, novamente, apontando a necessidade de melhoria.

IMPORTÂNCIA DO IDEB

O Ideb é importante por ser condutor de política pública em prol da qualidade da educação. É uma ferramenta que permite o acompanhamento das metas de qualidade do Plano de Desenvolvimento da Educação - PDE para a educação básica. O  PDE estabelece, como meta, que em 2022 o Ideb do Brasil seja 6,0 – média que corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável a dos países desenvolvidos

SITUAÇÃO DO ALUNO 2013 E O IDEB

O módulo Situação do Aluno que é a segunda etapa do Censo Escolar da Educação Básica, coleta dados sobre movimento (transferido, deixou de frequentar ou falecido) e rendimento escolar (aprovado ou reprovado) das matrículas de escolarização informadas na primeira etapa (matrícula inicial). É importante ressaltar que os alunos que chegaram ao sistema escolar após a data de referência do Censo Escolar (última quarta-feira do mês de maio, 29/05/13), também terão os dados de movimento ou rendimento informados no módulo Situação do Aluno, por meio da funcionalidade "Admitidos após o Censo".

O correto preenchimento do módulo Situação do Aluno, a análise sistemática e o tratamento dos dados são fundamentais para assegurar a fidedignidade  e a qualidade e das taxas calculadas, sobretudo, este ano em que tais informações servirão de base para o calculo do Ideb - 2013. O Inep adverte  que todas as informações prestadas ao Censo Escolar devem se basear na documentação administrativa e/ou acadêmica da escola.