Voltar

INTERPRETAÇÃO E COMPARABILIDADE DO DESEMPENHO MÉDIO DO BRASIL NO PISA 2000 A 2015

INTERPRETAÇÃO E COMPARABILIDADE DO DESEMPENHO MÉDIO DO BRASIL NO PISA 2000 A 2015 (Versão 1.5)

Miniatura Uploads feitos por Lilian DOS SANTOS LOPES, 03/12/18 16:21
Este artigo aborda dois temas metodológicos de suma importância para o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa): a interpretação e a comparabilidade do desempenho médio dos países e das economias participantes dessa avaliação em larga escala. Quanto à interpretação, mostramos, com base em sugestão da O rganização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que a média X no Pisa pode ser interpretada pedagogicamente em níveis de proficiência entre os pontos X -σ e X +σ nas respectivas escalas de leitura, matemática e ciências (σ é o desvio-padrão calculado empiricamente para cada valor médio X ). Tal interpretação estabelece um critério pedagógico de comparabilidade do desempenho médio X ±σ em um determinado ano, bem como ao longo do tempo. Com base nessa interpretação pedagógica, em faixas de níveis de proficiência, analisamos o desempenho médio dos estudantes brasileiros mediante desagregações por ano escolar, sexo, unidades federativas, tipo de escola (pública ou particular) e por dependência administrativa (particular, federal, estadual ou municipal). Por fim, criticamos e sugerimos uma alternativa à Estratégia 7.11 do Plano Nacional de Educação (PNE).
Publicação: Séries Séries » Textos para Discussão Publicações em destaque
1 de 56

Versão 1.5

Última atualização por Lilian DOS SANTOS LOPES
03/12/18 17:07
Estado: Aprovado
Este artigo aborda dois temas metodológicos de suma importância para o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa): a interpretação e a comparabilidade do desempenho médio dos países e das economias participantes dessa avaliação em larga escala. Quanto à interpretação, mostramos, com base em sugestão da O rganização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que a média X no Pisa pode ser interpretada pedagogicamente em níveis de proficiência entre os pontos X -σ e X +σ nas respectivas escalas de leitura, matemática e ciências (σ é o desvio-padrão calculado empiricamente para cada valor médio X ). Tal interpretação estabelece um critério pedagógico de comparabilidade do desempenho médio X ±σ em um determinado ano, bem como ao longo do tempo. Com base nessa interpretação pedagógica, em faixas de níveis de proficiência, analisamos o desempenho médio dos estudantes brasileiros mediante desagregações por ano escolar, sexo, unidades federativas, tipo de escola (pública ou particular) e por dependência administrativa (particular, federal, estadual ou municipal). Por fim, criticamos e sugerimos uma alternativa à Estratégia 7.11 do Plano Nacional de Educação (PNE).
Baixar (2,3MB) Get
Histórico da versão
Versão Data Tamanho  
1.7 4 Meses atrás 2,3MB
1.6 5 Meses atrás 2,3MB
1.5 10 Meses atrás 2,3MB
1.4 10 Meses atrás 1,7MB
1.3 10 Meses atrás 1,7MB
1.2 10 Meses atrás 4,6MB
1.1 10 Meses atrás 1,7MB
1.0 10 Meses atrás 1,7MB

Publicações mais Recentes

A redação no Enem 2019 – Cartilha do Participante ›

Em “A redação no Enem 2019 – Cartilha do Participante” o Inep detalha o que se espera do participante em cada uma das competências avaliadas e explica quais critérios serão utilizados ...

Panorama da Educação - destaques do Education at a Glance 2019 ›

O Inep, por meio do Panorama da Educação, apresenta e comenta os destaques da publicação anual Education at a Glance (EAG) da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), ...

Literatura para crianças e jovens - temas contemporâneos ›

Na Europa do século 19, a criança era considerada um ser frágil e, nas obras literárias produzidas para ela, prevaleciam intenções morais, didáticas e pedagógicas. No século 20, a criança passa ...