Censo da Educação Profissional 1999

O Censo Profissional foi realizado pelo Inep em 1999 e teve o objetivo de coletar dados estatísticos que orientem os governos federal, estaduais e municipais no desenvolvimento das políticas para a Educação Profissional, com o apoio do setor privado e das entidades de classe.
 

A ampliação e a melhoria contínua da qualidade dos cursos deste setor da  Educação são fundamentais para que os trabalhadores brasileiros aumentem a sua empregabilidade e tenham mais chances para disputar as novas oportunidades que o mercado globalizado oferece. 

Além de contribuir para o processo de implementação da Reforma do Ensino Médio, o Censo Profissional mostra se a oferta atual está em sintonia com as demandas do mercado. Com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), este levantamento passou a ser considerado complementar à Educação Básica, podendo ser desenvolvido em escolas, instituições especializadas ou no próprio ambiente de trabalho. 

Entendendo a Educação Profissional

A Educação Profissional está dividida em três níveis: básico, técnico e tecnológico. Os cursos básicos são abertos a qualquer pessoa interessada, independente da escolaridade prévia; os técnicos são oferecidos simultaneamente ao Ensino Médio ou após a sua conclusão, e têm organização curricular própria; e os tecnológicos são cursos de nível superior. O Inep, juntamente com a Secretaria de Ensino Médio e Tecnológico (Semtec/MEC) e o Ministério do Trabalho, reuniu dados estatísticos destes três níveis. 

Como foi feito o Censo

O Censo da Educação profissional foi realizado pelo Inep em 1999. Um total de 3.948 instituições responderam aos questionários. Destas, 2.216 oferecem cursos no nível técnico, 2.034 no nível básico, e 258 no nível tecnológico.

O levantamento revelou que, naquele momento, havia nos três níveis da Educação Profissional 2 milhões e 800 mil matrículas em todo o País. O nível básico possuía 2 milhões de estudantes, o técnico respondia por 717 mil matrículas e o tecnológico detinha 97 mil. 

Neste contexto, a Educação Profissional no País se dá com maior intensidade no setor de Serviços, onde estão 68% das matrículas, levando em conta os três níveis da Educação Profissional. Na seqüência, aparece o setor da Indústria, com 24,2%, seguido pela Agropecuária e Pesca, com 4,1% dos alunos matriculados. Em último, na distribuição da matrícula, está o setor de Comércio, com 3% do total.

O Censo revelou também que, dos 33 mil cursos de Educação Profissional no Brasil, a grande maioria está voltada para o nível básico: 27.555. Neste nível de ensino, pela grande quantidade e diversidade de cursos oferecidos, a coleta de informações e o cadastro das instituições deverão ser aprimorados paulatinamente com os próximos levantamentos. O nível técnico tem 5.018 e o tecnológico tem 433 cursos em todo o País.

Outra informação revelada pelo Censo foi que cerca de 100 mil professores e instrutores atuam na Educação Profissional do País. Do total de professores, 82,3% concluíram a graduação e 48,1% dos instrutores tem nível superior completo.
 

Download Download