Perguntas Frequentes

Selecione uma categoria abaixo:

1. Geral

1.1. O que é Prova Brasil e o que é Aneb?

São avaliações para diagnóstico em larga escala, desenvolvidas pelo Inep/MEC, que objetivam avaliar a qualidade do ensino oferecido pelo sistema educacional brasileiro. A mensuração é realizada a partir de testes padronizados e questionários socioeconômicos.

Nos testes, os estudantes respondem a questões de Língua Portuguesa, com foco em leitura, e de Matemática, com foco na resolução de problemas. No questionário socioeconômico, os estudantes fornecem informações sobre fatores de contexto que podem estar associados ao seu desempenho.

Professores e diretores das turmas e escolas avaliadas também respondem a questionários que coletam dados sobre perfis profissionais, dados demográficos e condições de trabalho.

1.2. Para que servem a Prova Brasil e a Aneb?

A partir das informações da Aneb e da Prova Brasil, o MEC e as secretarias estaduais e municipais de Educação podem definir ações voltadas para o aprimoramento da qualidade da educação no país e para a redução das desigualdades existentes. Com esses dados é possível, por exemplo, corrigir as distorções e debilidades identificadas e direcionar recursos técnicos e financeiros para áreas identificadas como prioritárias.

As médias de desempenho nessas avaliações também subsidiam o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), juntamente com as taxas de aprovação nessa esfera.

Os dados também estão disponíveis para toda a sociedade que, a partir dos resultados, pode acompanhar as políticas implementadas pelas diversas frentes de governo. No caso da Prova Brasil, o desempenho específico das escolas públicas urbanas do País também pode ser acompanhado.

Os dados dessas avaliações são comparáveis ao longo do tempo, ou seja, pode-se observar a evolução no desempenho das escolas, das redes e do sistema como um todo.

1.3. Qual a diferença entre as duas provas?

A base metodológica das duas provas é a mesma e avaliam as mesmas disciplinas: Língua Portuguesa e Matemática. A diferença está na população de estudantes aos quais são aplicadas e, consequentemente, nos resultados que cada uma oferece.

A Prova Brasil avalia alunos de 5° e 9° anos do Ensino Fundamental, da rede pública e urbana de ensino. Considerando este universo de referência, a avaliação é censitária e oferece resultados de cada escola participante, das redes no âmbito dos municípios, dos estados, das regiões e do Brasil.

A Aneb, por sua vez, é uma avaliação por amostra: isso significa que nem todas as turmas e estudantes das séries avaliadas participam da prova. A amostra de turmas e escolas sorteadas para participarem da Aneb é representativa das redes estadual, municipal e particular no âmbito do País, das regiões e dos estados. Dessa forma, não há resultado da Aneb por escola e por município.

Participam da Aneb alunos de 5°e 9° anos do Ensino Fundamental e também os do 3º ano do ensino médio regular, tanto da rede pública quanto da rede privada, em área urbana e rural (neste último caso, apenas para a 5° ano, no nível das regiões geográficas). Os resultados da Aneb, em conjunto com as taxas de aprovação escolar, são a base de cálculo para o Ideb de cada estado e do Distrito Federal.

1.4. No que essas avaliações diferem das provas tradicionais?

Diferentemente das provas que o professor aplica em sala de aula, a metodologia adotada na construção e aplicação dos testes da Aneb e da Prova Brasil é adequada para avaliar redes ou sistemas de ensino, e não alunos individualmente.

Os resultados são produzidos a partir da aferição das habilidades e competências propostas nos currículos para serem desenvolvidas pelos alunos em determinada etapa da educação formal. Como os currículos são muito extensos, um aluno não responde a todas as habilidades neles previstas em uma única prova. Um conjunto de alunos responde a várias provas. Desta forma, os resultados não refletem a porcentagem de acertos de um aluno respondendo a uma prova, mas a de um conjunto de alunos respondendo às habilidades do currículo proposto, distribuídas em várias provas diferentes. O resultado se dá pela representatividade de um grupo de alunos como uma unidade dentro do sistema de ensino.

1.5. Os resultados podem ser comparados ao longo dos anos?

Sim. A metodologia utilizada permite que se compare o desempenho das redes e escolas ao longo do tempo. Assim, enquanto determinadas avaliações não permitem a comparação em função de graus diferentes de dificuldade em suas edições, os instrumentos utilizados na Aneb e na Prova Brasil permitem fazer tal comparação.

1.6. O que cai nas provas?

A Prova Brasil e a Aneb são avaliações elaboradas a partir de Matrizes de Referência, um documento onde estão descritas as habilidades a serem avaliadas e as orientações para a elaboração das questões. Essas matrizes reúnem o conteúdo a ser avaliado em cada disciplina e série.

A construção das Matrizes de Referência teve como base a consulta aos Parâmetros Curriculares Nacionais e às propostas curriculares dos estados brasileiros e de alguns municípios, formulando uma síntese do que havia de comum entre elas. Para estabelecer as matrizes também foram consultados professores das redes municipal, estadual e privada no 5° e 9° anos do Ensino Fundamental e no 3º ano do Ensino Médio, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática. Foi realizado, ainda, exame de livros didáticos mais utilizados nas mesmas redes e séries. Em seguida, foram incorporadas análises de professores e especialistas nas áreas do conhecimento avaliadas. A opção teórica adotada é a que pressupõe a existência de competências cognitivas e habilidades a serem desenvolvidas pelo aluno no processo de ensino-aprendizagem.

1.7. As matrizes de referência são equivalentes às matrizes curriculares?

As matrizes de referência não podem ser confundidas com as matrizes curriculares, pois não englobam todo o currículo escolar. Também não podem ser confundidas com procedimentos ou estratégias de ensino.

Para elaborar as matrizes de referência, foi feito um recorte com base no que pode ser aferido por meio dos instrumentos utilizados na Aneb e na Prova Brasil. As matrizes de referência estão subdivididas em tópicos ou temas e estes, em descritores.

Cada descritor é uma associação entre conteúdos curriculares e operações mentais desenvolvidas pelos alunos, que traduzem certas competências e habilidades. Os descritores, portanto, especificam o que cada habilidade implica e são utilizados como base para a construção dos itens das diferentes disciplinas. Cada descritor dá origem a diferentes itens e, a partir das respostas dadas, verifica-se quais habilidades os alunos efetivamente desenvolveram.

1.8. As escolas são obrigadas a participar?

A participação na Aneb e na Prova Brasil é voluntária. Para a Aneb, são feitos sorteios das escolas que irão participar da avaliação. Quanto à Prova Brasil, a adesão é feita pelas secretarias estaduais e municipais de educação. Cabe ressaltar, porém, que o comprometimento dos participantes é fundamental para a qualidade dos resultados apurados, e é fundamental que a escola ou rede participe para que tenha seu Ideb calculado.

1.9. Qual é a participação das Secretarias Estaduais e Municipais de Educação?

As secretarias de Educação são a ligação do Inep/MEC com todas as escolas avaliadas – sejam estaduais, municipais ou particulares (no caso da Aneb) – e ajudam a articular a aplicação da prova em cada estado.

1.10. Como a prova é organizada?

São confeccionados 21 tipos diferentes de cadernos de prova para cada série, sendo que cada aluno responde a apenas um caderno de prova. Desta forma, dois alunos não necessariamente respondem às mesmas questões.

Cada caderno de prova é constituído por quatro blocos, dos quais dois são destinados a respostas de Língua Portuguesa e os outros dois abordam questões de Matemática. Os testes são de múltipla escolha, com quatro ou cinco alternativas de resposta para cada questão, sendo que apenas uma está correta.

Os alunos de 5° ano responderão a 22 itens de Língua Portuguesa e a 22 itens de Matemática. Já os estudantes de 9° ano e do 3º ano do ensino médio responderão a 26 itens de Língua Portuguesa e a 26 de Matemática. O tempo total estipulado para a realização das provas é de 2 horas e 30 minutos.

No total, existem 77 itens de cada disciplina no 5ª ano e 91 itens de cada disciplina no 9ª ano do Ensino Fundamental e no 3º ano do Ensino Médio distribuídos pelos 21 cadernos de prova.

1.11. Como é a aplicação da prova?

As provas são aplicadas por profissionais de uma empresa contratada exclusivamente para esse fim. Esses aplicadores são treinados e capacitados para manterem os critérios e a padronização dos testes em âmbito nacional. As datas e os horários das provas são agendados pelos aplicadores, que entram em contato com as escolas.

Durante a realização das provas para os alunos de 5° ano, caberá ao aplicador ler as orientações dos testes e explicar a forma de preenchimento das respostas. As questões das provas não devem ser lidas pelo aplicador.

Para os alunos de 9° ano e do 3º ano do Ensino Médio, os aplicadores farão apenas a leitura das orientações do teste. Caberá aos próprios alunos lerem os procedimentos para preenchimento do formulário de respostas e a interpretação das questões.

Alunos com deficiência também poderão participar das avaliações.

1.12. Além das provas, os estudantes respondem a outros questionários na Aneb e Prova Brasil?

Sim. Logo após a realização dos testes, os alunos deverão responder a um questionário socioeconômico e cultural, com 44 questões, que serve para a caracterização dos estudantes.

Professores de Língua Portuguesa e Matemática das séries avaliadas, além dos diretores das escolas, também são convidados a responder questionários que possibilitam conhecer a formação profissional, práticas pedagógicas, nível socioeconômico e cultural, estilos de liderança e formas de gestão. Os questionários destinados aos professores e diretores são entregues pelos aplicadores antes da realização dos testes por parte dos alunos e devem ser recolhidos ao final da prova.

São coletadas ainda informações sobre o clima acadêmico da escola, clima disciplinar, recursos pedagógicos disponíveis, infraestrutura e recursos humanos. Na mesma ocasião, os aplicadores dos testes preenchem um formulário sobre as condições de infraestrutura das escolas que participam da avaliação. De posse desses dados, é possível estudar os principais fatores associados ao desempenho dos alunos.

1.13. Como são calculadas as notas? (apresentação dos resultados)

As médias da Aneb e da Prova Brasil não vão de zero a dez, como as avaliações tradicionais cujas notas refletem o volume de conteúdo que o estudante acerta.

Para entender o que significam as notas dessas duas avaliações em larga escala deve-se partir do pressuposto que, diferente de uma prova clássica como a que o professor aplica a seus alunos em sala de aula, os testes da Prova Brasil e da Aneb são construídos metodologicamente para avaliar os sistemas de ensino, e não os alunos.

As médias são apresentadas em uma escala de desempenho capaz de descrever, em cada nível, as competências e as habilidades que os estudantes desses sistemas demonstram ter desenvolvido. Há uma escala descrita para as habilidades em Língua Portuguesa e outra para Matemática.

Dentro de cada uma das disciplinas a escala é única e acumulativa, para todas as séries avaliadas: a lógica é a de que quanto mais o estudante caminha ao longo da escala, mais habilidades terá acumulado. Portanto, é esperado que alunos do 5° ano alcancem médias numéricas menores que os de 9° ano e estes alcancem médias menores que as alcançadas pelos alunos de 3º ano do ensino médio.

1.14. Como saber se a nota na prova está boa ou ruim?

Ao apresentar os resultados da Prova Brasil e da Aneb, o MEC não tem o intuito de ranquear sistemas ou impor parâmetros de qualidade que firam a autonomia das redes de ensino.

O objetivo é que os resultados apresentados sejam incorporados pelos professores, diretores, gestores e pela própria sociedade. Além disso, também a fomentação de debates e de um trabalho pedagógico que subsidiem a melhoria da qualidade educacional dos sistemas.

Cada nível da escala apresenta as habilidades que os alunos desenvolveram. Com base na média de desempenho, distribuição dos alunos de cada rede ou escola e sua interpretação pedagógica, a rede ou a escola pode comparar seus resultados com seus próprios objetivos. Dessa maneira, é possível observar, por exemplo, até que ponto as habilidades planejadas para serem desenvolvidas nos alunos obtiveram sucesso.

1.15. Os resultados são comparáveis ao longo dos anos?

Sim. A Prova Brasil e a Aneb utilizam recursos metodológicos para garantir a comparabilidade dos seus resultados, como por exemplo, a utilização da Teoria de Resposta ao Item (TRI) e a manutenção de itens âncoras ao longo da história da avaliação.

1.16. É preciso fazer a Aneb e Prova Brasil para ter Ideb?

Sim. As médias de desempenho nas avaliações são utilizadas para o cálculo do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), que é o eixo do Programa de Metas Compromisso Todos pela Educação, do PDE (Plano de Desenvolvimento da Educação). Assim, a avaliação se constitui como a primeira ação concreta para aderir às metas do Compromisso e receber o apoio técnico/financeiro do MEC.

2. Para Professores

2.1. Como o professor pode preparar seus alunos para fazerem a prova?

O trabalho normal da escola, cuidando para que cada aluno tenha um adequado processo de aprendizagem, garante o bom desempenho nestes exames.

De todo modo, pode-se conhecer e entender as matrizes de referência da avaliação disponíveis no sítio do Inep. Nela, os descritores estão detalhados e há exemplos de questões que podem ser examinados pela comunidade escolar.

2.2. O que cai na prova de Língua Portuguesa?

O ensino da Língua Portuguesa, segundo diretrizes do Conselho Nacional de Educação e dos Parâmetros Curriculares Nacionais, deve voltar-se para a função social da Língua. Deve-se posicionar como requisito básico para que o indivíduo ingresse no mundo letrado e possa construir seu processo de cidadania, integrando a sociedade como ser participante e atuante.

Os testes de Língua Portuguesa da Aneb e Anresc (Prova Brasil) têm como foco a leitura. Seu objetivo é verificar se os alunos são capazes de apreender o texto como construção de conhecimento em diferentes níveis de compreensão, análise e interpretação. A alternativa por esse foco parte da proposição de que ser competente no uso da língua significa saber interagir, por meio de textos, em qualquer situação de comunicação.

Ler não é apenas decodificar, mas entender. É uma atividade complexa que exige do leitor demonstrar habilidades como reconhecer, identificar, agrupar, associar, relacionar, generalizar, abstrair, comparar, deduzir, inferir e hierarquizar.

Os conhecimentos e competências linguísticas esperados para cada etapa estão indicadas nos descritores da Matriz de Referência de Língua Portuguesa, dividida em 3º ano do ensino médio, 9° e 5° anos do Ensino Fundamental.

2.3. O que cai na prova de Matemática?

O conhecimento de matemática na Prova Brasil e na Aneb deve ser demonstrado por meio da resolução de problemas. São consideradas capacidades como: observação, estabelecimento de relações, comunicação (diferentes linguagens), argumentação e validação de processos. A prova estimula formas de raciocínio como intuição, indução, dedução e estimativa. Essa opção traz implícita a convicção de que o conhecimento matemático ganha significado quando os alunos têm situações desafiadoras com as quais lidar e trabalham para desenvolver estratégias de resolução.

A partir dos itens da Prova Brasil e da Aneb é possível afirmar que um aluno desenvolveu uma habilidade (constante em um descritor) quando ele é capaz de resolver um problema a partir da utilização e aplicação de um conceito por ele já construído. Por isso, a prova busca apresentar, prioritariamente, situações em que a resolução de problemas seja significativa para o aluno.

Por problemas significativos para o aluno entendem-se situações que permitam "recontextualizar" os conhecimentos que foram apresentados a ele de forma "descontextualizada", por ocasião de seu processo de aprendizagem. A opção pela resolução de problemas significativos não exclui a possibilidade de que sejam propostos alguns itens com o objetivo de avaliar se o aluno tem domínio de determinadas competências matemáticas.

2.4. O que são os Parâmetros Curriculares Nacionais?

Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) são a referência básica para a elaboração das Matrizes de Referência. Os PCNs foram elaborados para difundir os princípios da reforma curricular e orientar os professores na busca de novas abordagens e metodologias. A determinação traça um novo perfil para o currículo, apoiado em competências básicas para a inserção dos jovens na vida adulta; orientam os professores quanto ao significado do conhecimento escolar contextualizado e quanto à interdisciplinaridade, incentivando o raciocínio e a capacidade de aprender.

Segundo as orientações dos PCNs, o currículo está sempre em construção e deve ser compreendido como um processo contínuo que influencia positivamente a prática do professor. Com base nessa prática e no processo de aprendizagem dos alunos, os currículos devem ser revistos e sempre aperfeiçoados.

Além dos PCNs, foi feita uma consulta nacional aos currículos propostos pelas secretarias estaduais de educação e por algumas redes municipais. O Inep consultou também professores regentes de redes municipais, estaduais e de escolas privadas do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio. Além disso, também examinou os livros didáticos mais utilizados para essas séries. A opção teórica adotada é a que pressupõe a existência de competências cognitivas e habilidades a serem desenvolvidas pelo aluno no processo de ensino-aprendizagem.

Para saber mais: Portal do Ministério da Educação (MEC)

 

3. Para Gestores Educacionais

3.1. Qual a importância da Aneb e Anresc (Prova Brasil)?

A Aneb e a Anresc (Prova Brasil) são instrumentos de avaliação do sistema educacional brasileiro criados para auxiliar no desenvolvimento e na implementação de políticas públicas educacionais.

A participação é voluntária, mas essencial às escolas, municípios e unidades da Federação para terem seu Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) calculado. Consequentemente, as escolas também podem participar dos programas baseados nas metas previstas pelo Compromisso Todos pela Educação do MEC.

As médias de desempenho na Aneb e Anresc (Prova Brasil) subsidiam o cálculo do Ideb. A partir dele e das demais informações apuradas nas provas, o MEC e as secretarias de Educação definem ações voltadas para corrigir as distorções, além de direcionar seus recursos técnicos e financeiros para as áreas prioritárias. O objetivo principal é impulsionar o desenvolvimento do sistema educacional brasileiro e reduzir as desigualdades existentes.

O diretor também deve ficar atento à média de sua escola. Ao conhecer seu desempenho – com possibilidade de compará-lo a outras escolas similares –, ele terá condições de iniciar um movimento de trocas de boas práticas para melhorar o desenvolvimento.

3.2. As avaliações são utilizadas no Ideb?

Sim. As médias de desempenho da Prova Brasil e da Aneb são utilizadas no cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), ferramenta de acompanhamento das metas de qualidade da educação básica, no âmbito do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), do MEC. A média na Prova Brasil é usada para calcular os índicess de municípios e escolas, enquanto a nota na Aneb subsidia os índices dos estados e do Ideb nacional. Além das notas nas avaliações, o cálculo do indicador usa as taxas de aprovação escolar, informação prestada pelas redes através do Censo Escolar.

O Ideb é o indicador utilizado para a verificação do cumprimento das metas fixadas no Compromisso Todos pela Educação, eixo do PDE que trata da Educação Básica. Com o Ideb, ampliam-se as possibilidades de mobilização da sociedade em favor da educação, uma vez que o índice é comparável nacionalmente e expressa em valores os resultados mais importantes da educação: aprendizagem e fluxo.

O Plano de Desenvolvimento da Educação estabelece, como meta, que em 2022 o Ideb do Brasil seja 6. Essa média corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável a dos países desenvolvidos.

Caso o estado, município ou escola não tenha participado da Prova Brasil, da Aneb ou não tenha enviado os seus dados do Censo Escolar no prazo estabelecido pelo Inep, não terão Ideb calculado.

Você pode consultar o Ideb do seu estado, município e escola.

3.3. O que é o Compromisso Todos pela Educação?

O Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação é o conjunto de esforços da União, Estados, Distrito Federal e Municípios em regime de colaboração, das famílias e da comunidade em proveito da melhoria da qualidade da educação básica.

Os sistemas municipais e estaduais que aderirem ao Compromisso seguirão 28 diretrizes pautadas em resultados de avaliação de qualidade e de rendimento dos estudantes.

Para saber mais clique aqui.

3.4. O que é o Plano de Desenvolvimento da Educação?

Uma educação básica de qualidade é a prioridade do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). Investir na educação básica significa investir na educação profissional e na educação superior, porque estão ligadas direta ou indiretamente. Significa também envolver todos – pais, alunos, professores e gestores – em iniciativas que busquem o sucesso e a permanência do aluno na escola.

Com o PDE, o Ministério da Educação pretende mostrar à sociedade tudo o que se passa dentro e fora das escolas, realizando uma grande prestação de contas. Se as iniciativas do MEC não chegarem à sala de aula e não beneficiarem a criança, não se conseguirá atingir a qualidade que desejada na educação brasileira. Por isso, é importante a participação de toda a sociedade no processo.

3.5. Qual a relação do Censo Escolar, da Prova Brasil e da Aneb com o Ideb?

O resultado da Prova Brasil e da Aneb, combinado com os índices de aprovação, repetência e evasão de cada escola, obtidos por meio do Censo Escolar, compõe o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). O indicador orienta as políticas da educação básica, voltadas para a melhoria da qualidade das escolas públicas.

Realizado com a colaboração das secretarias estaduais e municipais de educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas do País, o Censo Escolar é um importante instrumento para promover a melhoria da qualidade na educação. Ao respondê-lo, você ajuda o MEC a conhecer melhor o sistema educacional, suas qualidades e deficiências.

O Censo Escolar coleta, todos os anos, informações sobre a educação básica nacional. Esses dados servem de base para a formulação de políticas públicas e para a distribuição de recursos públicos (merenda e transporte escolar, distribuição de livros e uniformes, implantação de bibliotecas, instalação de energia elétrica, Dinheiro Direto na Escola e FUNDEB, entre outros). Seus dados também são utilizados por outros ministérios – como Saúde e Esportes –, por organismos internacionais – como a Unesco e o Unicef –, por pesquisadores e estudantes de todo o Brasil e do mundo.

4. Para Pais

4.1. Qual a importância da Aneb e da Prova Brasil?

A Prova Brasil e a Aneb são duas avaliações criadas para mostrar como está a educação em nosso país, e a melhor forma para isso é aplicar uma prova aos estudantes e saber o quanto eles estão aprendendo.

Estudantes de escolas públicas urbanas do 5° e 9° anos fizeram a Prova Brasil. Além desses, alguns estudantes dessas mesmas séries de escolas particulares, alguns estudantes de 3º ano do ensino médio e alunos matriculados em escolas rurais fizeram a Aneb.

As notas dessas provas não entram no boletim escolar do seu filho. Isso porque a Prova Brasil e a Aneb não foram feitas para avaliar o aluno. A Prova Brasil visa a avaliar a escola e a qualidade da educação no município, enquanto o foco da Aneb são os sistemas educacionais – rede estadual, escolas privadas e escolas públicas.

Mesmo não contribuindo para a nota, é muito importante que os estudantes participem: se os professores, diretores, prefeitos e o Ministério da Educação não souberem como está o aprendizado, nada pode ser feito para melhorar.

A prova é aplicada na própria sala de aula. É fundamental que seu filho esteja presente e também é muito importante que ele responda às questões com dedicação. Explique a ele que, com a Prova Brasil e com a Aneb, ele vai ganhar coisa mais importante que pontos no boletim: vai contribuir para a melhoria da educação. E vai ser beneficiado diretamente com isso.

Educação não é tarefa só do professor. Todos nós temos que nos unir nesse esforço, pois só com educação de qualidade o Brasil poderá oferecer melhores condições de vida a todos nós. Cada um faz sua parte. Nesse momento, sua parte é estimular seu filho a fazer essa prova bem feita.

4.2. O aluno recebe alguma nota?

Como o intuito das provas não é o de avaliar os alunos, não há boletim individual de desempenho para a Prova Brasil e para a Aneb. As notas serão dadas às escolas, às redes (municipal, estadual e federal) e aos sistemas de ensino (público e privado).

Cada escola participante receberá material com sua nota, com a nota média do município, do estado e do país. Esse material traz também o significado da nota alcançada: ou seja, o que a média dos alunos sabe e o que ainda precisa aprender.

4.3. As escolas recebem alguma nota?

A Prova Brasil é uma avaliação realizada a cada dois anos com estudantes de escolas públicas urbanas e rurais, de 5º e 9º ano do Ensino Fundamental. A mesma prova é aplicada em todo o Brasil e, dessa forma, é possível avaliar a qualidade da escola e do nível educacional do município.

A Aneb é outra avaliação, também realizada a cada dois anos. Ele é amostral – ou seja, não são todos os alunos que participam, mas apenas aqueles selecionados pelo Inep dentro de critérios estatísticos. Dessa forma, o resultado da Aneb não serve para avaliar a qualidade da escola, mas possibilita avaliar o desempenho dos sistemas educacionais (redes municipais, estaduais e federal de educação), além do sistema público e privado. Permite, também, a comparação de desempenho por estado e por região geográfica. A Aneb é aplicada a estudantes das séries finais de cada ciclo da educação básica: 5° e 9° anos do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio.

As notas da Prova Brasil e da Aneb não vão de 0 a 10, mas sim de 0 a 500. Cada escola participante receberá material com sua nota, com a nota média do município, do estado e do país.

4.4. O que cai na prova?

Quando seu filho faz a Prova Brasil ou a Aneb, ele não precisa estudar nada além do que já está estudando para a escola.

O conteúdo da prova é todo baseado no conteúdo regular da série correspondente. Esses conteúdos estão definidos nos Parâmetros Curriculares Nacionais, que a escola de seu filho tem, e são contemplados nos livros didáticos distribuídos pelo Programa Nacional do Livro Didático.

São duas provas: uma de Língua Portuguesa, com ênfase na leitura, e outra de Matemática, com ênfase em resolução de problemas.

Os testes são de múltipla escolha, com quatro alternativas de resposta para cada questão, sendo que apenas uma está correta. As respostas deverão ser assinaladas no formulário de respostas com lápis ou caneta preta, bastando marcar com um "X" a alternativa desejada.

Os alunos de 5° ano responderão a 22 questões de Língua Portuguesa e a outras 22 questões de Matemática. Já os estudantes de 9° ano e do 3º ano do ensino médio responderão a 26 questões de Língua Português e a 26 de Matemática.

4.5. Prova Brasil e Aneb: para que servem essas provas?

Prova Brasil:

Normalmente, uma prova serve para o professor avaliar o nível do aluno. A Prova Brasil serve para os pais avaliarem o nível da escola de seu filho. Ela foi criada sob a constatação de que educação não é responsabilidade apenas do professor e do aluno, mas de toda a sociedade. Dessa forma, é importante que a sociedade tenha meios de avaliar a qualidade da educação oferecida.

O resultado da Prova Brasil, relacionado com o índice de aprovação de determinada escola, fornece um índice chamado Ideb, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Esse índice norteia uma das mais importantes políticas de melhoria da educação atuais. Isso quer dizer que você deve estar atento para o Ideb da escola de seu filho.

O Ministério da Educação estabeleceu metas de crescimento do Ideb. Veja se a escola de seu filho está trabalhando para cumprir – ou mesmo superar – essas metas.

Aneb:

Os objetivos da Aneb são um pouco diferentes dos objetivos da Prova Brasil pois, como a prova é amostral, ele não avalia cada escola. Ele serve para mostrar a qualidade dos sistemas educacionais nos estados, regiões e também no Brasil, de maneira geral. Dessa forma, os gestores – de diretor de escola à Ministro da Educação, passando por secretários municipais e estaduais de Educação – poderão interferir para reforçar a qualidade do ensino.

 

Página atualizada em: 20 outubro 2015