Ações internacionais 03 de Dezembro de 2007

O que é o Pisa

O Pisa - Programa Internacional de Avaliação de Alunos – é uma avaliação internacional que mede o nível educacional de jovens de 15 anos por meio de provas de Leitura, Matemática e Ciências.

O exame é realizado a cada três anos pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), entidade formada por governos de 30 países que têm como princípios a democracia e a economia de mercado. Países não membros da OCDE também podem participar do Pisa, como é o caso do Brasil, convidado pela terceira vez consecutiva.

O objetivo principal do Pisa é produzir indicadores que contribuam, dentro e fora dos países participantes, para a discussão da qualidade da educação básica e que possam subsidiar políticas nacionais de melhoria da educação.

O Brasil participa do Pisa por meio do Inep, responsável pela aplicação das provas em todo o País. Essa participação tem o intuito de situar o desempenho dos alunos brasileiros no contexto da realidade educacional internacional, além de possibilitar o acompanhamento das discussões sobre as áreas de conhecimento avaliadas pelo Pisa em fóruns internacionais de especialistas. A participação nesse processo de avaliação internacional leva, ainda, à apropriação de conhecimentos e metodologias na área de avaliação educacional. O Inep dissemina informações – resultados, conceitos e metodologias – geradas pelo Pisa aos diversos autores do sistema educacional brasileiro.
Participaram do Pisa 2006 57 países. Além dos membros da OCDE, foram convidados 27 países.

Resultados brasileiros

Em sua terceira participação no Pisa, o Brasil mostrou desempenho similar aos anos anteriores em Ciências, uma ligeira queda em Leitura e um aumento significativo em Matemática, que valeu destaque por parte da OCDE.

Da última aplicação do Pisa, o Brasil subiu 14 pontos em Matemática, só superado entre os convidados pela Indonésia (31 pontos) e, considerando os membros da OCDE, pelo México (20 pontos).

  Pisa 2000 Pisa 2003 Pisa 2006
Número de alunos participantes
4.893
4.452
9.295
Ciências
375
390
390
Leitura
396
403
393
Matemática
334
356
370

Resultados por Estado e Região

Região Sul tem melhores notas e Nordeste tem as piores
A Região Sul foi a que apresentou o melhor desempenho nas três áreas. Em segundo lugar ficou o Centro-Oeste em Matemática e Ciências, e o Sudeste em Leitura. Essas duas regiões se revezam no terceiro lugar. A região Norte mostrou as notas seguintes e o Nordeste apresentou os índices mais baixos nas três áreas avaliadas.

PISA 2006 - Média Brasil por Região
Região
Matemática
Leitura
Ciências
Média
Erro Padrão
Média
Erro Padrão
Média
Erro Padrão

TOTAL

370
2,933
393
3,743
390
2,786

C. OESTE

378
9,461
388
10,163
396
8,868

NORDESTE

333
6,353
359
9,336
359
4,859

NORTE

339
10,162
377
8,758
372
6,984

SUDESTE

378
4,358
404
4,931
396
4,330

SUL

405
6,854
419
8,140
424
6,529

DF e Santa Catarina revezam-se no primeiro lugar

A amostra saltou de 4.452 participantes em 2003 para 9.295 em 2006 para possibilitar amostra por estado. As provas foram aplicadas em agosto de 2006 em 625 escolas de 390 municípios de todas as unidades da federação.

Em Ciências os estados que apresentaram melhor desempenho foram: Distrito Federal, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Sergipe, Goiás e Rondônia.

Em Leitura, cuja média nacional foi de 393 pontos, dez estados ficaram acima da média: Santa Catarina, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Paraná, Rondônia, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Sergipe, Espírito Santo e Paraíba.

A melhor média estadual em Matemática foi alcançada pelos estudantes do Distrito Federal. Além deles, ultrapassaram a média nacional os estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Sergipe, Espírito Santo, Goiás e Rondônia.

Resultados por gênero
Meninos são melhores em Matemática. Meninas, em Leitura

Os resultados do Pisa mostram alguns detalhes da realidade educacional brasileira que podem contribuir na elaboração de políticas públicas. Apontam, por exemplo, para uma acentuada diferença de desempenho por gênero. Enquanto meninos são melhores em Matemática e Ciências, as meninas os superam em Leitura.

Em Ciências constata-se uma pequena diferença: meninas ficaram com 386 pontos e meninos, com 395. Vantagem, portanto, de nove pontos. Essa diferença aumenta para 19 pontos nas médias de Matemática, onde mulheres tiveram 361 pontos e homens, 380.

Mas quando o assunto é Leitura, as meninas tiveram nada menos que 32 pontos a mais: foram 408 delas a 376 deles. Veja o desempenho por gênero em cada estado.

PISA 2006 – Desempenho por gênero e UF

UF
Sexo
Ciências
Matemática
Leitura
Média
Média
Média

Total

Feminino

386

361

408

Masculino

395

380

376

Total

390

370

393

AC

Feminino

362

340

363

Masculino

372

355

347

Total

366

346

356

AL

Feminino

360

329

381

Masculino

376

361

359

Total

366

341

373

AM

Feminino

338

279

341

Masculino

363

321

345

Total

349

298

343

AP

Feminino

358

331

407

Masculino

371

358

371

Total

364

344

390

BA

Feminino

356

324

393

Masculino

374

357

373

Total

364

339

384

CE

Feminino

364

340

380

Masculino

372

360

349

Total

367

349

366

DF

Feminino

437

415

436

Masculino

460

451

419

Total

447

431

429

ES

Feminino

402

378

424

Masculino

404

393

376

Total

403

385

403

GO

Feminino

397

377

405

Masculino

398

379

368

Total

398

378

387

MA

Feminino

309

252

284

Masculino

327

292

258

Total

317

270

272

MG

Feminino

397

373

425

Masculino

417

402

397

Total

406

386

413

MS

Feminino

376

357

390

Masculino

379

371

355

Total

377

363

374

MT

Feminino

372

346

389

Masculino

368

356

358

Total

370

352

372

PA

Feminino

372

333

395

Masculino

393

370

374

Total

380

348

387

PB

Feminino

384

344

407

Masculino

398

373

377

Total

389

355

395

PE

Feminino

350

327

367

Masculino

362

345

330

Total

355

335

352

PI

Feminino

368

332

382

Masculino

389

366

371

Total

375

343

378

PR

Feminino

420

393

440

Masculino

425

407

398

Total

422

400

418

RJ

Feminino

413

385

441

Masculino

408

400

408

Total

411

391

427

RN

Feminino

361

343

397

Masculino

369

359

372

Total

364

349

386

RO

Feminino

394

375

427

Masculino

399

383

399

Total

396

378

415

RR

Feminino

382

345

403

Masculino

386

364

368

Total

384

353

388

RS

Feminino

419

400

432

Masculino

429

410

394

Total

424

405

412

SC

Feminino

425

405

444

Masculino

430

420

419

Total

427

413

431

SE

Feminino

395

370

414

Masculino

413

408

398

Total

402

385

408

SP

Feminino

385

369

413

Masculino

384

371

370

Total

385

370

392

TO

Feminino

366

332

391

Masculino

358

351

354

Total

362

341

374

Assessoria de Imprensa do Inep