Cibec 02 de Agosto de 2019

Inep é parceiro da Apae para a conservação do acervo de quase 50 mil exemplares

Uma equipe muito especial é responsável pela manutenção de documentos, livros e publicações que fazem parte do acervo do Centro de Informação e Biblioteca em Educação (Cibec) do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O trabalho delicado de reparo e higienização de obras bibliográficas é realizado por dez jovens com deficiência intelectual. A ação é resultado de uma parceria do Instituto com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Distrito Federal (Apae-DF).

Willian Lima da Silva é um desses profissionais. Com 20 anos de idade, este é seu primeiro emprego. Ele manuseia com cuidado um bisturi e um pedaço de papel japonês que será usado na restauração das páginas do livro. Ele tem Síndrome de Down e, como os colegas de trabalho, passou por curso de conservação de bens culturais no laboratório da Apae-DF, situado na biblioteca da Universidade de Brasília (Unb) e no Arquivo Nacional durante dois anos. Quando iniciou sua jornada profissional no Inep, em abril de 2018, era trazido pelo pai, vindo da região administrativa de Santa Maria, que fica a 30 quilômetros do centro de Brasília. Hoje, Willian faz o percurso de ônibus. “Sozinho!”, conta ele, com orgulho sobre a autonomia conquistada.

Convênio – O convênio entre o Inep e a Apae começou em fevereiro de 2013. Na época, o Cibec se preparava para a mudança física da autarquia, do edifício sede do Ministério da Educação para o atual endereço do Inep. Mônica Kanegae, coordenadora-geral do Programa de Conservação de Bens Culturais da Apae-DF, explica que várias ações foram necessárias, “como a desinfestação de insetos bibliófagos e fungos das obras raras e periódicos, limpeza e organização do arquivo histórico. O objetivo foi não levar as infestações para o novo local”, detalha a coordenadora.

Os profissionais são contratados pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e cumprem jornada diária de quatro horas – equipe de higienização – e de seis horas – equipe responsável por pequenos reparos –, de segunda a sexta-feira. Quando alguém sai de férias ou se afasta por licença médica, o contrato prevê a substituição. O programa atende outros oito órgãos federais: Câmara dos Deputados, Senado Federal, Supremo Tribunal Federal, Tribunal Superior Eleitoral, Ministério das Relações Exteriores, Superior Tribunal de Justiça, Advocacia-Geral da União e Ministério da Justiça.

Inclusão – Todas as atividades são supervisionadas por duas instrutoras da Apae, que trabalham junto à equipe de conservação. A pedagoga Marilene Jardim, que ocupa a função desde janeiro de 2018, afirma que a rotina do trabalho traz benefícios para os jovens, que apresentam vários tipos de deficiência intelectual. “Eles se sentem úteis e valorizados”, afirma Marilene. O veterano da equipe, Calebe Eustorgio Pereira, de 27 anos, concorda e diz que é “feliz demais” com o trabalho, que compreende “a higienização de livros e documentos”. Calebe entrou no Inep com a primeira turma, há seis anos.

O convênio é mais um exemplo da Política de Inclusão e Acessibilidade do Inep, baseada na crença de que a educação é um elemento transformador. Por isso, exames e avaliações do Instituto têm atendimentos diferenciados para quem comprova necessidade, além de 15 recursos de acessibilidade. Outra iniciativa é a realização de exames para pessoas privadas de liberdade.

A parceria com a Apae mostra que todos podem cumprir um papel produtivo na sociedade. É o que alega o coordenador do Cibec, Augusto de Castro Oliveira. Segundo ele, se o trabalho dos profissionais da Apae é importante para a vida de cada um deles, também é fundamental para o Inep. Augusto também ressalta o resultado dos serviços prestados pela equipe. “A qualidade do trabalho deles é excepcional”, descreve. O coordenador destaca que o acervo tem 48.933 exemplares, sendo que 1.854 são obras raras ou especiais. O documento mais antigo é de 1843.

Cibec – O Centro de Informação e Biblioteca em Educação do Inep foi criado em 1981, a partir da fusão de 11 bibliotecas do Ministério da Educação (MEC). O Decreto-lei nº 580, de 30 de julho de 1938, entretanto, já previa na estrutura do Inep uma seção de documentação e intercâmbio, além de uma biblioteca pedagógica. A atribuição atual do Cibec é atuar como centro de documentação e de informação.