Ideb 08 de Setembro de 2016

Dados do Ideb 2015 já estão disponíveis para consulta

A meta do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) dos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º) para 2015 foi alcançada por 74,7% das redes municipais. O resultado demonstra o esforço dos municípios, que respondem por 82,5% das matrículas nesse nível de ensino na rede pública.

As metas não foram cumpridas nos anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º), apesar do índice ter evoluído. No Ensino Médio, a meta do Ideb não foi alcançada e o índice permanece estagnado desde 2011. O indicador relaciona o desempenho dos estudantes em avaliações de larga escala, obtidas pela Prova Brasil/Saeb, com dados do fluxo escolar, via Censo Escolar do Ensino Básico.

"Há evolução, mas em um nível aquém do que os estudantes brasileiros conseguem e merecem. Precisamos de uma reforma no Ensino Médio e de uma maior articulação das redes municipais e estaduais de ensino", defende Maria Inês Fini, presidente do Inep.

O índice nos anos iniciais do Ensino Fundamental vem evoluindo progressivamente desde que o Ideb começou a ser calculado, em 2005, permitindo o monitoramento das escolas e das redes de ensino. O Ideb passou de 3,8, em 2005; para 5,5, em 2015, superando as metas estipuladas. Este ano, apenas três estados não alcançaram as metas: Amapá, Rio de Janeiro e Distrito Federal.

Os anos finais do Ensino Fundamental também melhoraram no índice, passando de 4,2, em 2013; para 4,5, em 2015; embora não tenham alcançado a meta para este ano, de 4,7. Nesse nível de ensino as responsabilidades estão divididas: a rede estadual responde por 43,6% dos alunos e a rede municipal, por 41,7%. Cinco estados superaram a meta: Goiás, Ceará, Mato Grosso, Amazonas e Pernambuco.

O Ideb do Ensino Médio não alcançou a meta e mantém o índice de 2011. O objetivo era que chegasse a 4,3; mas o Ideb continua na casa dos 3,7. Apenas dois estados alcançaram a meta: Pernambuco e Amazonas. Quase a totalidade dos alunos está matriculada na rede estadual e o baixo desempenho reforça a urgência pela reforma do Ensino Médio, que vai flexibilizar e criar uma nova arquitetura capaz de atrair os jovens.

COMO É CALCULADO O IDEB

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é um indicador de desempenho da educação brasileira divulgado a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do Ministério da Educação (MEC). O Ideb relaciona duas dimensões: o desempenho dos estudantes em avaliações de larga escala e a taxa aprovação. O desempenho é calculado a partir da Prova Brasil/Saeb, quando os estudantes do 5º e do 9º ano do Ensino Fundamental e da 3ª série do Ensino médio são avaliados em Leitura e Matemática. Os dados de aprovação são verificados a partir do Censo Escolar da educação Básico, realizado anualmente. O Ideb é calculado para escolas e para sistemas de ensino que monitoram o seu desempenho em relação a metas individuais pactuadas com o governo federal. O índice varia de 0 a 10: quanto maior for o desempenho dos alunos e o número de alunos promovidos, maior será o Ideb.

O ENSINO EM NÚMEROS

Ensino Fundamental – Anos Iniciais (1º ao 5º ano) 

  • 117,9 mil escolas oferecem os anos iniciais nas redes pública e privada;
  • 15,5 milhões de alunos estão matriculados nos anos iniciais do Ensino Fundamental;
  • 10,5 milhões (68,1%) estão matriculados em escolas municipais. Esse total representa 82,5% das matrículas na rede pública;

Ensino Fundamental – Anos Finais (6º ao 9º ano)

  • 62,4 mil escolas oferecem os anos finais nas redes pública e privada;
  • 12,4 milhões de alunos estão matriculados nos anos finais do Ensino Fundamental;
  • 41,7% deles estão na rede municipal;
  • 43,6% deles estão na rede estadual;

Ensino Médio

  • 28 mil escolas oferecem o Ensino Médio nas redes pública e privada;
  • 8 milhões de alunos estão matriculados no Ensino Médio;
  • 23,6 % desses estudam no período noturno;
  • 84,4% estão na rede estadual, que concentra 97,1% das matrículas da rede pública

DESTAQUES NACIONAIS
Conheça o Ideb 2015 de algumas das escolas com boas trajetórias de evolução no índice

Ensino Fundamental – Anos Iniciais/Rede Municipal
Emilio Sendim - Sobral/CE - 9,8
Francisco Severo de Araujo (EEF)- Massapê/CE - 9,6
Francisco Rufino (EEF) - Novo Oriente/CE - 9,5
Escola Municipal Adolpho Bartsch - Joinville/SC - 8,9
Álvaro de Almeida Professor (EMEF) - Valparaíso/SP - 8,6

Ensino Fundamental – Anos Iniciais/Rede Estadual
Engenheiro Marcio Aguiar da Cunha (EE) - Ipatinga/MG - 8,4
Doutor Arthur Bernardes (EE) - Sete Lagoas/MG - 8,3
Teodomiro Caldeira Leão (EE)- Aricanduva/MG - 8,3
Professora Carlota de Negreiros Rocha - Marília/SP - 8,3
Escola Estadual Professor Gilberto Mestrinho - Beruri/AM - 8,2

Ensino Fundamental – Anos Finais/Rede Municipal
Coração de Jesus (EMEIF) - Coreaú/CE - 7,4
Antônio de Paula Pessoa Figueiredo (EEF) - Massapê/CE - 7,3
Escola Municipal Pastor Hans Muller - Joinville/SC - 7,2
Santa Cruz (EMEF) - Farroupilha/RS - 7,2
Professora Maria Glaucineide Firmiano da Silva (EEIF) - Pentecoste/CE - 7,0
Francisco Alvares Florence (EMEF) - Novo Horizonte/SP - 7,0

Ensino Fundamental – Anos Finais/Rede Estadual
Escola de Aplicação do Recife (Fcap-UPE) - Recife/PE - 8,5
Colégio Tiradentes Polícia Militar de Minas Gerais - Patos De Minas/MG - 7,2
Colégio da Polícia Militar de Goiás - Unidade Dr. Cezar Toledo - Anápolis/GO - 7,2
Escola de Aplicação Professor Chaves Nazaré da Mata/PE - 6,9
Escola de Aplicação Professora Ivonita Alves Guerra - Garanhuns/PE - 6,9

SERVIÇO
Os dados do Ibeb estão disponíveis aqui 

Assessoria de Comunicação Social