Enem 31 de Maio de 2019

Edição do Enem 2019 registra a menor queda no número de inscritos dos últimos 4 anos

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 tem a menor redução percentual no número de inscritos registrada pelo Inep desde 2016. Números revelam que a quantidade de inscrições vem caindo ao longo dos anos. Da edição de 2016 para a de 2017, as inscrições despencaram em 22%; em 2018, caíram 17,9%. Já do ano passado para cá, a redução foi de 7%. Uma das explicações é a menor participação de egressos no exame, além de um menor número de matrículas no ensino médio, atribuído a componentes demográficos e à melhoria nas taxas de aprovação.

Em 2016, foram confirmadas 8,6 milhões de inscrições; no ano seguinte, caíram para 6,7 milhões. Em 2018, houve 5,5 milhões de inscrições contra 5,1 milhões em 2019. A participação dos candidatos que já tinham concluído o ensino médio em anos anteriores e que representam mais da metade dos participantes do Enem também vem caindo: saiu de 4,9 milhões em 2016 para cerca de 3 milhões em 2019, uma diminuição de 38,8%. Um dos fatores para a redução das inscrições desse público pode ser atribuído à conquista de vagas nas instituições de educação superior.

As mudanças no processo de inscrição do Enem, adotadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para evitar o desperdício do dinheiro público, também podem apontar o motivo para a queda no número de inscritos. Nas últimas quatro edições, o prejuízo aos cofres públicos com participantes que se inscreveram e faltaram às provas ficou em torno de R$ 740 milhões.

Em 2017, o Inep adotou controles mais rigorosos para a concessão da isenção da taxa de inscrição, que, mesmo assim, foi garantida a 70% dos participantes. Em 2018, o Inep criou a obrigatoriedade de justificativa de ausência para aqueles que buscavam novamente a gratuidade.

Historicamente, a taxa de candidatos que faltam às provas também tem diminuído. O número de inscritos confirmados está cada vez mais próximo ao de participantes que efetivamente comparecem às provas a cada ano. O último Enem teve a menor taxa de ausência (26%) desde que o exame adotou o atual formato, com a realização de provas em dois dias. O ajuste entre número de inscritos e participantes efetivos contribui para a otimização dos recursos utilizados no exame.