Celpe-Bras 05 de Abril de 2018

Celpe-Bras terá uma aplicação em 2018

O exame para Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras) terá uma aplicação em 2018. Estavam previstas duas edições, porém, após reuniões de ajustes do cronograma, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) em conjunto com os ministérios da Educação (MEC) e das Relações Exteriores (MRE), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) definiram realizar uma única aplicação no segundo semestre deste ano. Em breve, o Inep divulgará o edital do Celpe-Bras 2018 com a data da prova no segundo semestre.

Em 2018, o exame completa 20 anos. Foi aplicado pela primeira vez em 1998. Desde o segundo semestre de 2009, a aplicação é feita pelo Inep. O número de examinandos vem crescendo progressivamente. Na edição de 2016/1, o Celpe-Bras teve um total de 6.222 inscritos e na segunda edição do mesmo ano,  6.473 inscritos, a grande maioria do sexo feminino.

Celpe-Bras – O exame para Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras) é aplicado no Brasil e em outros países pelo Inep, com apoio do Ministério da Educação e em parceria com o Ministério das Relações Exteriores com o objetivo do de fornecer o certificado brasileiro oficial de proficiência em português como língua estrangeira. As provas são realizadas em postos aplicadores: instituições de ensino superior no Brasil e no exterior, representações diplomáticas e missões consulares do Brasil no exterior, centros e institutos culturais brasileiros e estrangeiros e instituições congêneres interessadas na promoção e na difusão da Língua Portuguesa.

O exame é dividido em Parte Escrita (coletiva) e Parte Oral (individual). Já a Parte Oral avalia a compreensão da fala, a competência para interagir em Língua Portuguesa, a fluência, o domínio de vocabulário e de estruturas da Língua Portuguesa e a pronúncia. A proficiência é avaliada a partir do desempenho do participante em tarefas e em uma interação face a face que exigem compreensão escrita e/ou oral, além de produção escrita. Isso inclui práticas de uso da Língua Portuguesa que possam ocorrer no cotidiano de um estrangeiro que pretende interagir em português.